Archive for the Tratamento de Caráter Category

Ser Simplesmente Filho: Minha Maior Alegria

Posted in Tratamento de Caráter on novembro 15, 2009 by Gean Pierre

Batismo“Batizado Jesus, saiu logo da água, e eis que se lhe abriram os céus, e viu o Espírito de Deus descendo como pomba, vindo sobre ele. E eis uma voz dos céus, que dizia: Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo.

(Mateus 3:16-17)

Assim como a ação de entrar numa garagem por diversas vezes não me transforma em um automóvel, assim tampouco ir por inúmeras e religiosamente repetidas vezes à igreja não me torna um cristão de fato.

O texto em destaque que acabamos de ler mostra Jesus logo após seu batismo no rio Jordão. A Palavra diz que Ele se dirigiu a João Batista que pregava todos os dias o arrependimento (não o remorso apenas) nas margens do rio Jordão e já logo batizava os que recebiam a mensagem e sentiam-se compelidos à mudança de vida. Jesus então pediu a João que O batizasse.

Como lemos, logo após Sua saída das águas, os céus se abriram, talvez uma forte luz, um relampejo de glória, um clarão apareceu. Viu-se então uma manifestação do Espírito Santo na forma de um animalzinho que normalmente utilizamos como símbolo da paz, a pomba, e ouviu-se então uma voz que dizia que Jesus era um filho que Lhe dava prazer.

Imperceptivelmente após nos dedicarmos a um tempo de caminhada com Jesus começamos a sentir uma obrigação, gerada pelo meio em que vivemos, de darmos frutos para Deus, de mostrarmos que estamos fazendo alguma coisa para o nosso Pai em demonstração de gratidão ao fato de Ele ter “amado o mundo de tal maneira” (João 3:16), mundo este que nos inclui.

Nos baseamos em textos que falam que “toda árvore que não produz bom fruto é cortada e lançada ao fogo” (Mateus 7:19) e assim, nos tornamos obcecados pela produção de frutos, ainda que estes sejam provocados pela força de nosso braço, pela variedade de nossas habilidades, pela persuasão de nossas palavras inflamadas de convicção.

Não que não devamos produzir frutos. Devemos sim produzir frutos, e bons frutos para a glória de Deus. Porém, gostaria de mostrar a você algo lindo e que espero que possa trazer conforto e alívio ao seu coração cansado na caminhada.

No texto que lemos, Jesus não havia ainda começado o Seu ministério de milagres e maravilhas quando dirigiu-se ao rio Jordão para ser batizado por João, o batista. Ele, mesmo não tendo pecado, entrou nas águas e foi batizado por João, apontando um exemplo da necessidade de sepultarmos nossa velha vida para vivermos uma nova em Deus.

Simplesmente FilhoNote algo importante aqui, Jesus não havia trabalhado ainda para o Seu Pai Celestial, não havia curado enfermos, ressuscitado mortos, operado maravilhas diante dos olhos dos povos que O cercavam, não havia fama, não havia credenciais, outdoors com o Seu nome, relatórios descrevendo seus feitos.

Todavia, o Espírito do Senhor desceu sobre Ele e a voz do Seu Pai foi ouvida declarando essas lindas palavras “Este é Meu filho em quem me comprazo”. Em outras palavras Deus estava dizendo “Este é Meu filho lindo que Me dá prazer”, “Este é o filho que Amo tanto simplesmente por Ele ser Meu filho”.

Se você ler com atenção e com o coração aberto os quatro evangelhos em especial, você certamente, pela instrução do doce Espírito Santo, perceberá que o objetivo das mensagens de Jesus sempre foi apresentar-nos e revelar-nos o Pai.

Ele falava tanto no Pai que levou Felipe à pedir-lhe:

“…Senhor, mostra-nos o Pai, e isso nos basta.”

(João 14:8b)

Ele sempre foi apaixonadamente apaixonado pelo Seu Pai ao ponto de dizer que Ele e o Pai tinham e têm tudo em comum:

“Tudo quanto o Pai tem é meu”

(João 16:15a)

“Eu e o Pai somos um.”

(João 10:30)

E ainda disse que era dirigido pelas palavras de Seu Pai:

“Porque Eu não tenho falado por Mim mesmo, mas o Pai, que Me enviou, Esse Me tem prescrito o que dizer e o que anunciar.”

(João 12:49)

Jesus tinha prazer em copiar Seu Pai:

“Então, lhes falou Jesus: Em verdade, em verdade vos digo que o Filho nada pode fazer de si mesmo, senão somente aquilo que vir fazer o Pai; porque tudo o que este fizer, o Filho também semelhantemente o faz.”

(João 5:19)

Meus amigos, Jesus tinha uma única alegria que sobrepujava qualquer outro sentimento: Ser Filho de Deus!

Ele sabia que mesmo que não fizesse nada em termos de trabalho, ainda assim Seu Pai O amaria como pudemos ver no texto que lemos. Ele sabia que Seu maior título e posição no universo era o de ‘filho’. Tudo que Ele fazia era fruto da obediência em amor ao Seu Pai pelo qual Ele era apaixonado.

As religiões tentam dizer que precisamos fazer algo para sermos aceitos por Deus como Seus filhos. As pessoas ao nosso redor tentam avaliar nossa vida para ver se estamos realmente trabalhando para Deus, mostrando que somos santos, puros, imaculados e superiores em essência e substância. A sociedade nos cobra isso, nossos amigos nos cobram isso, nossos familiares, nossos colegas de trabalho.

E isso cansa e traz mais frustração!

O que fazer então nessas horas? Quando nos sentimos inúteis e fragilizados por não darmos os resultados esperados pelos que nos cercam? Quando percebemos que nossas forças não são suficientes para nos manter inabaláveis diante das tempestades que levam a nau do nosso coração quase ao naufrágio?

Nessas horas a solução está no texto que lemos.

Assim como no batismo, temos que sepultar nossa velha vida, nosso ego, nossa necessidade de reconhecimento, nossos mimos e manhas e sairmos das águas como novos homens, novas mulheres.

Então o Senhor, como no exemplo da pomba descendo sobre Jesus, virá sobre nós e habitará em nossos corações e “paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará o vosso coração e a vossa mente em Cristo Jesus”.

E teremos então um único propósito, um único destino, um caminho a trilhar, um único anseio: sermos filhos amados.

Cada dia mais tenho percebido que minha primeira vocação, meu primeiro chamado, meu primeiro ministério, minha primeira missão é de me alegrar simplesmente por ser filho. Meu coração tenta dizer que não estou de acordo, minha mente borbulha de questões loucas e tenta desafiar a simplicidade dessa comunhão de Pai e filho, mas o doce Espírito Santo me faz ver que há um lugar só meu no coração do Meu Pai Celeste que me ama mesmo quando não faço nada pra Ele.

Simplesmente Filho 2As vezes faço coisas tão simples pra Ele e Ele sorri pra mim, me cutuca com Seu amor, faz brotar um sorriso nos meus lábios acompanhando de lágrimas de emoção. Muitas vezes falo de coisas tão bobas com Ele, me abro sobre minhas fraquezas tão teimosas, lamento pelos meus erros insistentes, espero então por uma face carrancuda de decepção, mas o que encontro? Um olhar tão doce, palavras tão fortes que logo me constranjo e sou obrigado a tentar mudar. Ninguém resiste ao olhar do Senhor!

Sei que um dia meus olhos O verão como Ele é, mas hoje mesmo eu posso conhecê-Lo mais, amá-Lo mais, servi-Lo mais, obedecê-Lo mais, ler mais Sua Palavra, o Manual do Fabricante, que O revela sempre de uma forma mais intensa e linda.

Vamos seguir o conselho sábio de Oséias, seu convite inegável:

“Conheçamos e prossigamos em conhecer ao Senhor; como a alva, a sua vinda é certa; e ele descerá sobre nós como a chuva, como chuva serôdia que rega a terra.”

(Oséias 6:3)

Seja filho! Não existe posição mais privilegiada do que esta.

Afinal, o que você acha que é a maior herança de um Pai?

Pense nisso e busque a face do Senhor hoje mesmo!

Quando me converti, lembro que cantava uma canção na igreja que dizia: Ó, por que Jesus me ama? Eu não posso te explicar!

Verdade pura! Não sei o porquê, mas sei que Jesus me ama! E isso é a razão do meu existir!

Ele te ama e quer mudar sua vida!

Um abraço forte!

Gean Pierre

(Escrito em 15/11/2009 – Itajaí – SC – 22:10h)

Simplesmente Filho

Por         : Gean Pierre

Blog       : http://www.manualdofabricante.wordpress.com

“Batizado Jesus, saiu logo da água, e eis que se lhe abriram os céus, e viu o Espírito de Deus descendo como pomba, vindo sobre ele. E eis uma voz dos céus, que dizia: Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo.

(Mateus 3:16-17)

Assim como a ação de entrar numa garagem por diversas vezes não me transforma em um automóvel, assim tampouco ir por inúmeras e religiosamente repetidas vezes à igreja não me torna um cristão de fato.

O texto em destaque que acabamos de ler mostra Jesus logo após seu batismo no rio Jordão. A Palavra diz que Ele se dirigiu a João Batista, que pregava todos os dias o arrependimento (não o remorso apenas) nas margens do rio Jordão e já logo batizava os que recebiam a mensagem e sentiam-se compelidos à mudança de vida, e pediu que O batizasse.

Como lemos, logo após Sua saída das águas os céus se abriram, talvez uma forte luz, um relampejo de glória, um clarão apareceu. Viu-se então uma manifestação do Espírito Santo em uma forma de um animalzinho que normalmente utilizamos como símbolo da paz e, ouviu-se então, uma voz que dizia que Jesus era um filho que Lhe dava prazer.

Imperceptivelmente após nos dedicarmos a um tempo de caminhada com Jesus começamos a sentir uma obrigação, gerada pelo meio em que vivemos, de darmos frutos para Deus, de mostrarmos que estamos fazendo alguma coisa para o nosso Pai em demonstração de gratidão ao fato de Ele ter “amado o mundo de tal maneira” (João 3:16), mundo este que nos inclui.

Nos baseamos em textos que falam que “toda árvore que não produz bom fruto é cortada e lançada ao fogo” (Mateus 7:19) e assim, nos tornamos obcecados pela produção de frutos, ainda que estes sejam provocados pela força de nosso braço, pela variedade de nossas habilidades, pela persuasão de nossas palavras inflamadas de convicção.

Não que não devamos produzir frutos. Devemos sim produzir frutos, e bons frutos para a glória de Deus. Porém, gostaria de mostrar a você algo lindo e que espero que possa trazer conforto e alívio ao seu coração cansado na caminhada.

No texto que lemos, Jesus não havia ainda começado o Seu ministério de milagres e maravilhas quando dirigiu-se ao rio Jordão para ser batizado por João, o batista. Ele, mesmo não tendo pecado, entrou nas águas e foi batizado por João, apontando um exemplo da necessidade de sepultarmos nossa velha vida para vivermos uma nova em Deus.

Note algo importante aqui, Jesus não havia trabalhado ainda para o Seu Pai Celestial, não havia curado enfermos, ressuscitado mortos, operado maravilhas diante dos olhos dos povos que O cercavam, não havia fama, não havia credenciais, outdoors com o Seu nome, relatórios descrevendo seus feitos.

Todavia, o Espírito do Senhor desceu sobre Ele e a voz do Seu Pai foi ouvida declarando essas lindas palavras “Este é Meu filho em quem me comprazo”. Em outras palavras Deus estava dizendo “Este é Meu filho lindo que Me dá prazer”, “Este é o filho que Amo tanto simplesmente por Ele ser Meu filho”.

Se você ler com atenção e com o coração aberto os quatro evangelhos em especial, você certamente, pela instrução do doce Espírito Santo, perceberá que o objetivo das mensagens de Jesus sempre foi apresentar-nos e revelar-nos o Pai.

Ele falava tanto no Pai que levou Felipe à pedir-lhe:

“…Senhor, mostra-nos o Pai, e isso nos basta.”

(João 14:8b)

Ele sempre foi apaixonadamente apaixonado pelo Seu Pai ao ponto de dizer que Ele e o Pai tinham e têm tudo em comum:

“Tudo quanto o Pai tem é meu”

(João 16:15a)

“Eu e o Pai somos um.”

(João 10:30)

E ainda disse que era dirigido pelas palavras de Seu Pai:

“Porque Eu não tenho falado por Mim mesmo, mas o Pai, que Me enviou, Esse Me tem prescrito o que dizer e o que anunciar.”

(João 12:49)

Jesus tinha prazer em copiar Seu Pai:

“Então, lhes falou Jesus: Em verdade, em verdade vos digo que o Filho nada pode fazer de si mesmo, senão somente aquilo que vir fazer o Pai; porque tudo o que este fizer, o Filho também semelhantemente o faz.”

(João 5:19)

Meus amigos, Jesus tinha uma única alegria que sobrepujava qualquer outro sentimento: Ser Filho de Deus!

Ele sabia que mesmo que não fizesse nada em termos de trabalho, ainda assim Seu Pai O amaria como pudemos ver no texto que lemos. Ele sabia que Seu maior título e posição no universo era o de ‘filho’. Tudo que Ele fazia era fruto da obediência em amor ao Seu Pai pelo qual Ele era apaixonado.

As religiões tentam dizer que precisamos fazer algo para sermos aceitos por Deus como Seus filhos. As pessoas ao nosso redor tentam avaliar nossa vida para ver se estamos realmente trabalhando para Deus, mostrando que somos santos, puros, imaculados e superiores em essência e substância. A sociedade nos cobra isso, nossos amigos nos cobram isso, nossos familiares, nossos colegas de trabalho.

E isso cansa e traz mais frustração!

O que fazer então nessas horas? Quando nos sentimos inúteis e fragilizados por não darmos os resultados esperados pelos que nos cercam? Quando percebemos que nossas forças não são suficientes para nos manter inabaláveis diante das tempestades que levam a nau do nosso coração quase ao naufrágio?

Nessas horas a solução está no texto que lemos.

Assim como no batismo, temos que sepultar nossa velha vida, nosso ego, nossa necessidade de reconhecimento, nossos mimos e manhas e sairmos das águas como novos homens, novas mulheres.

Então o Senhor, como no exemplo da pomba descendo sobre Jesus, virá sobre nós e habitará em nossos corações e “paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará o vosso coração e a vossa mente em Cristo Jesus”.

E teremos então um único propósito, um único destino, um caminho a trilhar, um único anseio: sermos filhos amados.

Cada dia mais tenho percebido que minha primeira vocação, meu primeiro chamado, meu primeiro ministério, minha primeira missão é de me alegrar simplesmente por ser filho. Meu coração tenta dizer que não estou de acordo, minha mente borbulha de questões loucas e tenta desafiar a simplicidade dessa comunhão de Pai e filho, mas o doce Espírito Santo me faz ver que há um lugar só meu no coração do Meu Pai Celeste que me ama mesmo quando não faço nada pra Ele.

As vezes faço coisas tão simples pra Ele e Ele sorri pra mim, me cutuca com Seu amor, faz brotar um sorriso nos meus lábios acompanhando de lágrimas de emoção. Muitas vezes falo de coisas tão bobas com Ele, me abro sobre minhas fraquezas tão teimosas, lamento pelos meus erros insistentes, espero então por uma face carrancuda de decepção, mas o que encontro? Um olhar tão doce, palavras tão fortes que logo me constranjo e sou obrigado a tentar mudar. Ninguém resiste ao olhar do Senhor!

Sei que um dia meus olhos O verão como Ele é, mas hoje mesmo eu posso conhecê-Lo mais, amá-Lo mais, servi-Lo mais, obedecê-Lo mais, ler mais Sua Palavra, o Manual do Fabricante, que O revela sempre de uma forma mais intensa e linda.

Vamos seguir o conselho sábio de Oséias, seu convite inegável:

“Conheçamos e prossigamos em conhecer ao Senhor; como a alva, a sua vinda é certa; e ele descerá sobre nós como a chuva, como chuva serôdia que rega a terra.”

(Oséias 6:3)

Seja filho! Não existe posição mais privilegiada do que esta.

Afinal, o que você acha que é a maior herança de um Pai?

Pense nisso e busque a face do Senhor hoje mesmo!

Ele te ama e quer mudar sua vida!

Um abraço forte!

Gean Pierre

(Escrito em 15/11/2009 – Itajaí – SC – 22:10h)

Anúncios

O Jardim do Nosso Coração

Posted in Tratamento de Caráter on setembro 16, 2009 by Gean Pierre

01No primeiro livro da Bíblia lemos:

“E plantou o Senhor Deus um jardim no Éden, na direção do Oriente, e pôs nele o homem que havia formado. Do solo fez o Senhor Deus brotar toda sorte de árvores agradáveis à vista e boas para alimento; e também a árvore da vida no meio do jardim e a árvore do conhecimento do bem e do mal”

(Gênesis 2:8-9)

Vemos aqui, no início da humanidade, Deus se preocupando em proporcionar um lugar de habitação para o homem onde ele fosse provido de tudo que precisasse. Logo de cara, já percebemos o belo cuidado do Senhor ao lermos que Ele mesmo ‘plantou’ um belo jardim para sua criação e fez com que da tarde brotasse o sustento para seus filhos.

Porém, não gostaria de falar sobre a habitação do homem e da mulher nesse texto. Gostaria de falar um pouco sobre o jardim de Deus, o nosso coração, Seu lugar preferido.

Em Gênesis 3:8 percebemos claramente que Deus, todos os dias, ‘na viração do dia’, descia do Seu lugar para conversar com o homem, para manter comunhão com ele e sua mulher.

Este lugar de encontro era o jardim, a habitação do homem, onde ele tinha intimidade e alegria com sua esposa, sua casa, seu lar, seu cantinho mais precioso.

Essa história figura o jardim como sendo hoje o nosso coração, o lugar da nossa intimidade, onde guardamos nossos segredos mais íntimos, nossos medos e fraquezas, nossas lembranças de vitórias e derrotas, amores e desilusões, erros e acertos.

Assim como o jardim foi plantado por Deus, assim também nosso coração foi por Ele entretecido e moldado por Suas lindas mãos cheias de amor e cuidado. Essa verdade é tão forte que fez com que o rei Davi tão comoventemente escrevesse:

father and son“…os meus ossos não te foram encobertos, quando no oculto fui formado e entretecido como nas profundezas da terra.  Os  Teus olhos me viram a substância ainda informe, e no Teu livro foram escritos todos os meus dias, cada um deles escrito e determinado, quando nem um deles havia ainda. Que preciosos para mim, ó Deus, são os teus pensamentos! E como é grande a soma deles!”

(Salmos 139:15-17)

Quando ainda não tínhamos forma, o Senhor já tinha toda a nossa vida escrita no Seu livro memorial. Isso não é fantástico! É sim! Um Deus tão grande e infinito se importando com seres tão frágeis e débeis como nós humanos. Que amor é esse? Que amor é esse?

Foi Ele quem criou nosso coração e tudo que há em nós!

Deus então pôs o homem no jardim para que o cultivasse e o guardasse (Gênesis 2:15).

Assim também Deus fez com o nosso coração, o que levou o rei Salomão a escrever:

“Sobre tudo o que se deve guardar, guarda o coração, porque dele procedem as fontes da vida.”

(Provérbios 4:23)

A responsabilidade de guardar o coração, nosso jardim de encontro com Deus, é totalmente nossa, pois dele é que retiramos a vida direto da fonte.

Além de Deus deixar a Adão essa responsabilidade de cultivar e guardar o jardim, o Senhor deixou ainda, sob sua responsabilidade, a mulher, sua adjutora, amiga, auxiliadora, companheira.

Todavia, Adão se descuidou e, num triste dia a mulher teve um encontro com a maldade. O diabo, a serpente, distorceu as palavras de Deus no coração de Eva e a enganou, fazendo com ela e seu marido desobedecessem ao mandamento que o Senhor havia dado dizendo:

“…De toda árvore do jardim comerás livremente, mas da árvore do conhecimento do bem e do mal não comerás; porque, no dia em que dela comeres, certamente morrerás.”

(Gênesis 2:16-17)

TristezaQue triste dia foi esse!

O lugar de encontro com Deus se transformou num lugar de desobediência, engano e decepção.

A benção se tornou em maldição, a alegria se tornou remorso, a consciência limpa em aperto no coração, a comunhão em distanciamento e estranheza.

Deus como pai amoroso e longânimo, os procura no jardim, mas eles se escondem dEle, pois a culpa já os tinha consumido.

Que situação triste! O jardim de encontro se tornou um esconderijo de vergonha.

Mas o Senhor não desistiu deles, assim como Ele nunca desiste de nós!

O Deus Todo-Poderoso que criou os céus e a terra não força o homem a nada, mas o constrange com o Seu doce amor:

“Filho meu, dá-me o teu coração, e os teus olhos se agradem dos Meus caminhos.”

(Provérbios 23:26)

O Apóstolo Paulo escreve então algo que sempre mexe muito comigo quando leio:

“Dificilmente, alguém morreria por um justo; pois poderá ser que pelo bom alguém se anime a morrer. Mas Deus prova o Seu próprio amor para conosco pelo fato de ter Cristo morrido por nós, sendo nós ainda pecadores.”

(Romanos 5:7-8)

Que amor é esse? É o infinito amor de Deus que permanece imutável e inabalável mesmo diante da nossa teimosa indiferença às Suas constantes demonstrações de amor.

Esse lindo Deus vai então ao encontro de Adão e Eva no jardim e os encontra escondidos (Gênesis 2:8-10), envergonhados e com malícia no seu coração.

samaritana O Deus que sabe tudo pergunta: onde estás? (Gênesis 2:9)

O Deus que tem tudo pede: dá-me o teu coração! (Provérbios 23:26)

O Deus que criou as fontes das águas se assenta junto ao poço e pede: Dá-me de beber. (João 4:7)

O Deus que tem todo o poder de criar e destruir diz: Pai, perdoa-lhes, porque não sabem o que fazem. (Lucas 23:34)

Assim como Deus perguntou a Adão e a Eva onde eles estavam, Ele nos pergunta hoje:

> Onde você está? Por onde você tem andado? Que lugares seus pés têm pisado?

> Você tem cuidado do jardim que eu plantei dentro de você?

> Você tem sido fiel e cuidadoso com a companheira que eu pus dentro do jardim para estar contigo?

> O que você tem semeado no jardim? Sementes boas ou malignas?

> Suas árvores têm dado frutos ou somente folhas com as quais você esconde suas vergonhas, assim como Adão e Eva coseram folhas de figueira para cobrir suas vergonhas? (Gênesis 3:7)

> Você me espera na ‘viração do dia’? Há um lugar dentro do seu jardim onde Eu possa me encontrar com você?

> Quem você tem deixado entrar no jardim do seu coração? A serpente enganadora? O maligno desejo de querer ser igual ao Altíssimo Deus?

Amados, é tempo de restaurarmos esse lugar para Deus em nossos corações!

Que eu seja o primeiro! Que meu coração seja o primeiro nessa tarefa que urge em meio a este mundo caótico e corrompido!

Foi Ele quem plantou esse jardim dentro de nós! Foi Ele que despertou esse desejo em nós de buscarmos comunhão com Ele e com o Filho do Seu amor que nos constrange pelo Seu doce Espírito Santo.

Adão foi feito pelas mãos de Deus. As marcas dos dedos de Deus ficaram nEle, o Seu hálito divino preencheu todo o seu ser com vida abundante.

Nós temos as marcas de Deus em nós, Sua vida é o que nos sustenta, Seu amor é o que nos sustenta e a Sua misericórdia é a causa de não sermos consumidos a cada manhã que se renova (Lamentações 3:22).

Feche hoje mesmo os portões do jardim do Seu coração para o diabo e seus enganos; para malícia e a desobediência; para o adultério e o sexo sem compromisso matrimonial; para o desejo soberbo de ser grande e poderoso; para o orgulho que encolhe a mão ao necessitado; para o caminho espaçoso do jeito brasileiro (e estrangeiro também); para a porta larga das coisas ilícitas.

Só deixe Deus entrar nesse jardim. Só abra a porta para Ele!

Só você tem a chave, só você pode abrir o belo jardim do seu coração ao Seu criador!

Limpe Seu coração no perdão de Jesus. Arrependa-se das suas maldades, renda-se ao amor de Deus, ao convite do Seu Espírito Santo e ao irresistível apelo da Sua doce e imutável Palavra.

Jesus oferece de graça água que limpa o coração e que mata a sede do nosso ser:

“O Espírito e a noiva dizem: Vem! Aquele que ouve, diga: Vem! Aquele que tem sede venha, e quem quiser receba de graça a água da vida.”

(Apocalipse 22:17)

“Quem beber desta água tornará a ter sede; aquele, porém, que beber da água que Eu lhe der nunca mais terá sede; pelo contrário, a água que Eu lhe der será nele uma fonte a jorrar para a vida eterna.”

(João 4:13-14)

“Vós já estais limpos pela palavra que Vos tenho falado;”

(João 15:3)

Mas para quê nos limparmos?

Para que, quando Deus vir ao nosso encontro, Ele não encontre apenas folhas das árvores que semeamos cobrindo nossos erros, ou frutos ruins como os de Caim (Gênesis 4:5)

Mas que Ele nos encontre de pé, como Abel, com os melhores frutos (seus animais) da sua produção, e então Ele se agrade de nossas ofertas, do que encontrar no jardim do nosso coração (Gênesis 4:4).

Que nossos frutos sejam os que o Apóstolo Paulo mostrou aos Gálatas:

“Mas o fruto do Espírito é: amor, alegria, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fidelidade, mansidão, domínio próprio. Contra estas coisas não há lei.”

(Gálatas 5:22-23)

Que nosso coração seja esse lindo jardim!

Que Deus caminhe por Ele conosco e não tenha vontade mais de sair dEle!

Que Ele perca as horas, que Ele adormeça ali, descanse ali e traga de uma vez toda sua mudança e ali encontre correspondência do nosso amor por Ele!

jesus-getsemaniJesus_and_Child_garden_2Jesus chorou muito e transpirou sangue no jardim do Getsêmani por nós!

É tempo de O chamarmos para o nosso jardim não para chorar, mas para se alegrar conosco!

Eu quero isso! Espero que você também o queira! É minha oração em nome de Jesus

Um abração forte!

Que Deus te abençoe!

Gean Pierre

(Escrito em 16/09/2009 – 20:00h – Itajaí / SC)

Renúncia: Estrada Para o Coração de Jesus

Posted in Tratamento de Caráter on agosto 5, 2009 by Gean Pierre

Renúncia

“A vida de renúncia é o ato de devolver a Jesus a vida que Ele lhe concedeu.

É abandonar o controle, os direitos, o poder, a direção, tudo o que você faz e diz.

É entregar totalmente a vida em Suas mãos, para que Ele a conduza como quiser.”


(Pr. David Wilkerson – Igreja Times Square – Nova York – EUA)

JESUS: NOSSO MAIOR EXEMPLO DE RENÚNCIA

* Jesus declarou sua renúncia de si mesmo em favor de obedecer o Pai

“Porque eu desci do céu, não para fazer a Minha própria vontade, e sim a vontade dAquele que me enviou.”

(João 6:38)

TakeUpYourCross* Através da renúncia Ele buscava sempre agradar Seu Pai

Disse-lhes, pois, Jesus: Quando levantardes o Filho do Homem, então, sabereis que Eu Sou e que nada faço por Mim mesmo; mas falo como o Pai me ensinou. E Aquele que me enviou está comigo, não me deixou só, porque Eu faço sempre o que Lhe agrada.

(João 8:28-29)

* Jesus provou nos amar através da renúncia da própria inocência

“Dificilmente, alguém morreria por um justo; pois poderá ser que pelo bom alguém se anime a morrer. Mas Deus prova o seu próprio amor para conosco pelo fato de ter Cristo morrido por nós, sendo nós ainda pecadores.”

(Romanos 5:7-8)

* Jesus se alegrou ao ver o resultado de Sua renúncia por nós

“Ele verá o fruto do penoso trabalho de Sua alma e ficará satisfeito; o Meu Servo, o Justo, com o Seu conhecimento, justificará a muitos, porque as iniqüidades deles levará sobre Si.”

(Isaías 53:11)

* Ele reprendeu os fariseus por sua falta de renúncia ao orgulho e da glória própria

“Praticam, porém, todas as suas obras com o fim de serem vistos dos homens; pois alargam suas pequenas tiras de pergaminho e alongam as suas franjas. Amam o primeiro lugar nos banquetes e as primeiras cadeiras nas sinagogas, as saudações nas praças e o serem chamados mestres pelos homens.”

(Mateus 23:5-7)

* Jesus não foi forçado por ninguém a renunciar Sua própria vida, Ele decidiu!

“Por isso, o Pai me ama, porque dou a Minha vida para tornar a tomá-la. Ninguém Ma tira de mim, mas Eu de Mim mesmo a dou; tenho poder para a dar e poder para tornar a tomá-la. Esse mandamento recebi de meu Pai.

(João 10:17-18)

VERDADES SOBRE A RENÚNCIA

* O Caminho da renúncia começa com Deus nos levando à uma Sensação de total fragilidade e dependência dEle.

“Respondeu-lhe, pois, Simão Pedro: Senhor, para quem iremos nós? Tu tens as palavras da vida eterna, e nós temos crido e conhecido que Tu és o Cristo, o Filho de Deus.”

(João 6:68)

sy-carry-cross* Renúncia não pode ser imposta a ninguém. O próprio Deus convida e não força

“Dá-me, filho meu, o teu coração, e os teus olhos se agradem dos Meus caminhos.”

(Provérbios 23:26)

* O jovem rico preferiu seu amor à suas riquezas e propriedades ao invés de seguir Jesus

“Ele, porém, contrariado com esta palavra, retirou-se triste, porque era dono de muitas propriedades. Então, Jesus, olhando ao redor, disse aos seus discípulos: Quão dificilmente entrarão no reino de Deus os que têm riquezas! Os discípulos estranharam estas palavras; mas Jesus insistiu em dizer-lhes: Filhos, quão difícil é para os que confiam nas riquezas entrar no reino de Deus!”

(Marcos 10:22)

* O Apóstolo Paulo nos recomendou uma vida de constante sacrifício e renúncia

“Rogo-vos, pois, irmãos, pelas misericórdias de Deus, que apresenteis o vosso corpo por sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional.”

(Romanos 12:1)

* O Apóstolo Paulo se incomodava em não conseguir renunciar mais ainda sua vida

“Porque não faço o bem que prefiro, mas o mal que não quero, esse faço. Mas, se eu faço o que não quero, já não sou eu quem o faz, e sim o pecado que habita em mim. Então, ao querer fazer o bem, encontro a lei de que o mal reside em mim. Porque, no tocante ao homem interior, tenho prazer na lei de Deus; mas vejo, nos meus membros, outra lei que, guerreando contra a lei da minha mente, me faz prisioneiro da lei do pecado que está nos meus membros. Miserável homem que sou! Quem me livrará do corpo desta morte?”

(Romanos 7:19-24)

* O verdadeiro amor não busca seu próprio proveito, ma renuncia-se a si mesmo em prol da felicidade e alegria de outros.

“O amor é paciente, é benigno; o amor não arde em ciúmes, não se ufana, não se ensoberbece, não se conduz inconvenientemente, não procura os seus interesses, não se exaspera, não se ressente do mal; não se alegra com a injustiça, mas regozija-se com a verdade; tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.”

(1ªCoríntios 13:4-7)

* A renúncia em princípio gera desconforto e sofrimento, porém, depois se transforma em conforto e salvação.

“Mas, se somos atribulados, é para o vosso conforto e salvação; se somos confortados, é também para o vosso conforto, o qual se torna eficaz, suportando vós com paciência os mesmos sofrimentos que nós também padecemos.”

(2ªCoríntios 1:6)

* Não precisamos temer na renúncia pois nosso Deus é Deus de toda consolação.

“Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai de misericórdias e Deus de toda consolação!”

(2ªCoríntios 1:3)

* O caminho de renúncia leva à uma única ambição: ganhar o coração de Jesus .

“Sim, deveras considero tudo como perda, por causa da sublimidade do conhecimento de Cristo Jesus, meu Senhor; por amor dO qual perdi todas as coisas e as considero como refugo, para ganhar a Cristo…”

(Filipenses 3:8)

* Em Jesus, quando estamos fracos aí é que estamos fortes.

“Pelo que sinto prazer nas fraquezas, nas injúrias, nas necessidades, nas perseguições, nas angústias, por amor de Cristo. Porque, quando sou fraco, então, é que sou forte.”

(2ªCoríntios 12:10)


RESULTADOS DE UMA VIDA DE RENÚNCIA

Christian_Passion_of_Christ* O caminho da renúncia traz contentamento onde quer que você esteja, e com o quê for que você possua.

“Por isso, vos digo: não andeis ansiosos pela vossa vida, quanto ao que haveis de comer ou beber; nem pelo vosso corpo, quanto ao que haveis de vestir. Não é a vida mais do que o alimento, e o corpo, mais do que as vestes? Observai as aves do céu: não semeiam, não colhem, nem ajuntam em celeiros; contudo, vosso Pai celeste as sustenta. Porventura, não valeis vós muito mais do que as aves? Qual de vós, por ansioso que esteja, pode acrescentar um côvado ao curso da sua vida? E por que andais ansiosos quanto ao vestuário? Considerai como crescem os lírios do campo: eles não trabalham, nem fiam. Eu, contudo, vos afirmo que nem Salomão, em toda a sua glória, se vestiu como qualquer deles. Ora, se Deus veste assim a erva do campo, que hoje existe e amanhã é lançada no forno, quanto mais a vós outros, homens de pequena fé? Portanto, não vos inquieteis, dizendo: Que comeremos? Que beberemos? Ou: Com que nos vestiremos? Porque os gentios (povos não-judeus) é que procuram todas estas coisas; pois vosso Pai celeste sabe que necessitais de todas elas; buscai, pois, em primeiro lugar, o seu reino e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas. Portanto, não vos inquieteis com o dia de amanhã, pois o amanhã trará os seus cuidados; basta ao dia o seu próprio mal.”

(Mateus 6:25-34)

* A alegria em meio às dificuldades passa a ser real em sua vida. O apóstolo Paulo estava na prisão quando recomendou aos Filipenses que se alegrassem.

“Alegrai-vos sempre no Senhor; outra vez digo: alegrai-vos.”

(Filipenses 4:4)

* A paz que ninguém pode explicar passa a guardar seu coração e sentimento.

“E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará o vosso coração e a vossa mente em Cristo Jesus.”

(Filipenses 4:7)

follow_jesus_* Você ganha uma nova vida prometida por Jesus.

“Então, disse Jesus a seus discípulos: Se alguém quer vir após mim, a si mesmo se negue, tome a sua cruz e siga-me. Porquanto, quem quiser salvar a sua vida perdê-la-á; e quem perder a vida por minha causa achá-la-á. Pois que aproveitará o homem se ganhar o mundo inteiro e perder a sua alma? Ou que dará o homem em troca da sua alma? Porque o Filho do Homem há de vir na glória de seu Pai, com os seus anjos, e, então, retribuirá a cada um conforme as suas obras.”

(Mateus 16:24-27)

* Por essa renúncia, você receberá a recompensa que não tem preço um dia lá na glória.

“Então, Pedro começou a dizer-lhe: Eis que nós tudo deixamos e te seguimos. Tornou Jesus: Em verdade vos digo que ninguém há que tenha deixado casa, ou irmãos, ou irmãs, ou mãe, ou pai, ou filhos, ou campos por amor de mim e por amor do evangelho, que não receba, já no presente, o cêntuplo de casas, irmãos, irmãs, mães, filhos e campos, com perseguições; e, no mundo por vir, a vida eterna.”

(Marcos 10:28-30)

“Mestre, ensina-nos a renunciar nossa vida por amor a Ti”

Que essa seja a minha e a sua oração a cada novo amanhecer!

Que Deus te abençoe grandemente!

Abraços!

Gean Pierre

(Escrito em 05/08/2009 – 21:37h – Itajaí / SC)

Miserável Homem Que Sou!

Posted in Tratamento de Caráter on maio 25, 2009 by Gean Pierre

egg“Porque não faço o bem que prefiro, mas o mal que não quero, esse faço. Mas, se eu faço o que não quero, já não sou eu quem o faz, e sim o pecado que habita em mim. Então, ao querer fazer o bem, encontro a lei de que o mal reside em mim. Porque, no tocante ao homem interior, tenho prazer na lei de Deus; mas vejo, nos meus membros, outra lei que, guerreando contra a lei da minha mente, me faz prisioneiro da lei do pecado que está nos meus membros. Miserável homem que sou! Quem me livrará do corpo desta morte?

(Romanos 7:19-24)

Quanto mais caminho com Deus, quanto mais, em meu pequeno entendimento, passo a entender Sua vontade, mais percebo que estou longe de ser o que Ele quer que eu seja.

Percebo diariamente que uma guerra se trava constantemente pelo meu coração. A semente de desobediência que recebi de meus pais Adão e Eva, tenta germinar, tenta sair para fora.

A desonestidade bate à porta, o vício rodeia, a malícia tenta seduzir nosso coração, o mau humor tenta mostrar que Deus não está presente em nossas angústias, o frio do desespero faz doer nossos ossos, trava nossos movimentos e então desfalecemos em nossa tristeza.

Todos os dias, sem exceção, somos convidados a irmos para longe do caminho excelente que Deus nos promete em Sua doce palavra, a ficarmos dormentes e entorpecidos pelos nossos dramas pessoais, esquisitices emocionais e chatices crônicas.

Todos os dias somos convidados a escolher entre o bem e o mal, entre Deus e o diabo, entre a fidelidade e o adultério, entre o vício e pureza, entre a malícia e a integridade de coração, entre a vida e a morte, entre a doçura de palavras e a amargura no olhar e no falar.

Todos os dias o nosso lado carnal luta contra o nosso lado espiritual.

Posso dizer como o apóstolo Paulo disse no texto que lemos no início desta mensagem:

_ Miserável homem que sou! Quem me livrará do corpo dessa morte?

E quando todo esse mal parece se tornar maior que nosso bem? Para onde correr?

A própria natureza explica isso! Os filhos de Corá escreveram sobre isso em um dos seus cânticos na Bíblia no livro de Salmos:

“Como suspira a corça pelas correntes das águas, assim, por ti, ó Deus, suspira a minha alma. A minha alma tem sede de Deus, do Deus vivo; quando irei e me verei perante a face de Deus?

(Salmos 42:2)

A corça é um animal simples, de pouca robustez que é constantemente perseguida por predadores vorazes como o leão, o leopardo, a onça e alguns outros. Apesar de sua velocidade, da qual muitos autores mencionam a respeito de seus pés ligeiros, ela, como todo animal, cansa e não pode correr para sempre. Então, entra uma estratégia muito interessante da corça, a qual pode servir de exemplo para nossas vidas.

Assim como acontece com muitos animais, a corça ao fugir de um predador exala um “odor de medo” que ajuda o predador a não perdê-la de vista. Como fugir deste predador então?

A corça quando está sendo perseguida procura logo uma lagoa, um ribeiro, uma cachoeira onde possa mergulhar para tirar o odor de seu corpo e, assim, despistar seu voraz perseguidor. E isso funciona.

Quando o salmista escreveu este cântico-oração, ele provavelmente estava passando por uma das situações que comentei no início dessa mensagem.

Creio que a maldade do seu coração já estava tão aflorada, o inimigo de sua alma já estava tão perto que ele começou a clamar e orar a Deus por livramento. Ele sabia que Deus poderia tirar o odor da sua maldade e despistar o inimigo para que assim, ele vivesse mais um dia.

Dessa maneira, aprendemos que quando o mal bate à nossa porta, quando nossa natureza maliciosa tenta tirar nossa visão, podemos correr para Deus! Então, suspiramos por Seu doce amor, dizemos a Ele que somos totalmente dependentes dEle, e que nada nessa vida podemos conquistar se não pela Sua ação e intervenção.

Tudo que temos vem dEle, tudo que fazemos é porque Ele nos dá forças para isso, tudo pelo que passamos é porque Ele nos dá forças para suportarmos.

“…pois nEle vivemos, e nos movemos, e existimos…”

(Atos 17:28a)

Se você tem tentado estar com Deus, seguí-Lo, amá-Lo, saiba que você não vai conseguir sem a ajuda dEle, sem o advogado Jesus, sem o amigo de todas as horas, o doce Espírito Santo.

Mas você pode me perguntar: _ Mas onde eu posso lavar meu coração? Onde está a fonte de águas para eu tirar o odor do pecado da minha vida?

A Bíblia responde:

“Há um rio, cujas correntes alegram a cidade de Deus, o santuário das moradas do Altíssimo.”

(Salmos 46:4)

_ Mas quanto custa essa água? Tenho como pagar?

Alegre-se ainda mais com o que Jesus disse:

“O Espírito e a noiva dizem: Vem! Aquele que ouve, diga: Vem! Aquele que tem sede venha, e quem quiser receba de graça a água da vida.”

(Apocalipse 22:17)

Nada do que você fizer que seja humano poderá limpar o seu coração!

Só Jesus pode limpar o coração, o meu coração, o nosso coração e restabelecer nosso contato e comunhão com Deus.

Deus é “insujável”! Como poderemos abraçá-Lo?

Jesus nos limpa, Jesus nos transforma, Jesus nos leva de volta ao Pai!

O que você está esperando para entregar sua vida para Jesus!?

Pense nisso e lembre-se que sua oportunidade é no tempo que se chama “hoje”!

Um abração forte no amor de Jesus!

Gean Pierre

(Escrito em 27/02/2009 – 00:29h)

Um Caráter Despido Diante de Deus

Posted in Tratamento de Caráter on maio 23, 2009 by Gean Pierre

“Seja bendito o nome de Deus, de eternidade a eternidade, porque dEle é a sabedoria e o poder; é Ele quem muda o tempo e as estações, remove reis e estabelece reis; Ele dá sabedoria aos sábios e entendimento aos inteligentes. Ele revela o profundo e o escondido; Conhece o que está em trevas, e com Ele mora a luz.”

(Daniel 2:20-22)

Lendo o texto de Mateus 1:25, encontrei algo muito interessante e profundo num simples verbo desse texto.

O texto de Mateus diz que “José não conheceu Maria, enquanto ela não deu à luz um filho, a quem pôs o nome de Jesus”.

Note que o texto parece meio desconexo na utilização do verbo “conhecer”. Parece estranho dizer que José só foi conhecer Maria depois do nascimento de Jesus, não é verdade!?

Caráter Despido Diante de DeusMas há algo muito lindo nesse texto que gostaria de compartilhar com você e, meu desejo profundo é que o Espírito Santo, o dono de toda sabedoria, o qual a dá deliberadamente aos que a pedem (Tiago 1:5), possa iluminar o seu entendimento e trazer luz e graça ao seu coração.

“Conhecer” usado neste texto vem do verbo grego “ginosko” que significa “chegar a saber, vir a conhecer, obter conhecimento de, perceber, sentir, expressão idiomática judaica para relação sexual entre homem e mulher”.

 A palavra “ginosko” relaciona-se com a palavra “gune” (mulher), de onde temos algumas palavras bem conhecidas em português como: ginecológico, ginecologista, ginecologia”.

 O verbo “ginosko”, significando o intercurso de uma lua-de-mel onde um casal se conhece, é onde quero me ater nesse texto.

 De forma bem clara, você há de convir comigo que não há intimidade entre um casal sem que sejam tiradas as roupas, correto!? O ponto máximo da intimidade de um casal é o ato sexual, onde o casal se despe do que lhe cobre e se une na conjunção carnal, criada por Deus para prazer do casal e constituição de filhos, dentro do casamento, o qual a sociedade atual tem banalizado.

Até aí tudo bem, trata-se de natureza humana, porém, algo que me chamou a atenção é que este mesmo verbo grego foi utilizado por Jesus em outras ocasiões significando o “despir de seu coração”, o “despir de seu caráter”.

Em João 10:14  Jesus disse:

“Eu sou o bom pastor; Conheço (ginosko) as minhas ovelhas, e elas me conhecem (ginosko) a Mim,”

Não é lindo isso! Veja se você consegue compreender: Jesus conhece nossa intimidade, a parte mais íntima que há em nós: o nosso coração! E aqueles que O buscam e O seguem como Suas ovelhas têm o privilégio maravilhoso de conhecer mais do que o Jesus da história, mais do que o Jesus romanceado, mais do que aquela personagem com uma auréola em sua cabeça e cercado de crianças ávidas por sua atenção.

Ninguém conhece melhor uma mulher do que o seu marido. Ninguém conhece melhor um homem do que sua esposa. Por quê? Porque os dois já se despiram um diante do outro, tanto física quanto emocionalmente, por diversas vezes e isso gerou um “conhecimento íntimo”.

Quando nos despimos, nossos defeitos e nossas qualidades aparecem, bem como, nossas manchas, nossas marcas, nossas vergonhas, porém, isso tudo é coberto pelo amor de quem nos ama.

Quando Jesus disse que Ele conhece as suas ovelhas e elas O conhecem também, Ele quis dizer que conhece nossas qualidades, nossos defeitos, nossas manchas, nossas esquisitices, nossas vergonhas, nossos pecados, enfim, nossa intimidade.

Mas há um “porém”, um “todavia”, um “entretanto”! Jesus nunca verá nossa intimidade se não tivermos a coragem de despirmos nosso caráter (o que somos quando ninguém nos vê) diante dEle, de tirarmos a roupa que esconde nosso coração do conhecimento dEle.

Mas, espere um pouco, Deus não conhece tudo?

Sim, Ele conhece. Davi mesmo disse:

“SENHOR, tu me sondas e me conheces. Sabes quando me assento e quando me levanto; de longe penetras os meus pensamentos. Esquadrinhas o meu andar e o meu deitar e conheces todos os meus caminhos. Ainda a palavra me não chegou à língua, e tu, SENHOR, já a conheces toda. Tu me cercas por trás e por diante e sobre mim pões a mão. Tal conhecimento é maravilhoso demais para mim: é sobremodo elevado, não o posso atingir. Para onde me ausentarei do teu Espírito? Para onde fugirei da tua face?”

(Salmos 139:1-7)

Porém, Deus é um belo de um cavalheiro e nunca rouba corações, Ele os pede:

“Dá-me, filho meu, o teu coração…”

(Provérbios 23:26)

Ele não arromba a porta do coração de ninguém:

“Eis que estou à porta e bato; se alguém ouvir a Minha voz e abrir a porta, entrarei em sua casa e cearei com ele, e ele, Comigo.”

(Apocalipse 3:20)

Portanto, assim como um noivo apaixonado, que acabou de se tornar um marido, espera que sua noiva-esposa se entregue a ele de todo o seu coração, assim também o Senhor deseja que entreguemos nosso coração a Ele.

Deus não tem amor, Ele é amor! Nele flui a essência do amor, do bem, da doçura, da bondade não-fingida, da alegria pura, do sentimento sem mancha, da felicidade simples como de uma criança.

Então, se você ainda pensa que Deus não te conhece, você está muito enganado, pois Ele te conhece, Ele tem uma sonda em Seus olhos capaz de penetrar no mais profundo de nossos corações e conhecer nossos pontos fracos e fortes.

Talvez, meu querido, minha querida, seu marido ou sua esposa não lhe compreenda, não consiga entender o que se passa no seu coração, mas o Senhor Deus conhece e sabe mais do que você mesmo.

Agora, diante disso tudo algo muito lindo é revelado no texto de João 10:14:

“Eu sou o bom pastor; Conheço as minhas ovelhas, e elas me conhecem a Mim,”

Jesus só pode despir diante de nós o que cobre a revelação de tudo que Ele é, quando nos tornamos suas ovelhas. Poderia traduzir esse texto assim:

“Sei tudo sobre as minhas ovelhas, porque elas já despiram o seu coração para mim; por isso, elas também Me conhecem, porque Eu já despi Meu coração e tudo que Sou para elas, como reação à sua ação.”

Depende de nós abrirmos a porta para conhecermos a Deus.

Deus não irá “violar” nossa intimidade, nem nos forçará a nos despirmos de caráter diante dEle.

Ele espera nossa atitude!

Deus sabe tudo de você, Deus te conhece, Deus te desenhou, mas Ele deseja ter um relacionamento íntimo com você, de coração para coração.

Pare de se esconder, não tenha vergonha dos seus defeitos e debilidades, não tenha medo de ser rejeitado, porque o Senhor te ama e quer mudar o seu coração.

Cabe a você, hoje mesmo se mostrar como você é ao Deus que te conhece!

Que você conheça a Deus hoje, mais do que ontem e menos que amanhã

“Conheçamos e prossigamos em conhecer ao SENHOR…”

(Oséias 6:3ª)

Seja a glória, a honra e louvor ao Senhor sempre

Um abração!

Gean Pierre

(Escrito em Itajaí, 28/04/2009)

O Carpinteiro de Nossos Corações

Posted in Tratamento de Caráter on maio 23, 2009 by Gean Pierre

“Ele verá o fruto do penoso trabalho de Sua alma e ficará satisfeito; o Meu Servo, o Justo, com o seu conhecimento justificará a muitos, porque as iniqüidades deles levará sobre si.”

(Isaías 53:11)

Enquanto escrevo esta reflexão, ouço a canção “Al taller del Maestro (Na Oficina do Mestre)” de Alex Campos, onde ele diz que quando a tristeza toma conta do seu coração, quando o sorriso vai embora, quando a canção dos seus lábios já se foi, ele então vai à oficina do Mestre, onde Ele o cura e sara as feridas do seu coração, pois as ferramentas do Mestre são capazes de remendar sua alma.

Há tantos momentos em que nossa alma, de tão ferida e cansada, precisa ser curada, remendada, consertada e renovada. Porém, percebi uma coisa muita linda em meus momentos aos pés do Senhor Jesus; algo que há muitos anos vem fortalecendo minha fé e me fazendo continuar firme diante das calamidades que me cercam.

Um dia em oração perguntei ao Senhor Jesus, o porquê de tanto sofrimento nessa vida, por que é tão difícil nos tornamos semelhantes a Ele, de amarmos como Ele amou, de não revidarmos àquele que nos fere, de ajudarmos ao que necessita sem esperarmos nada em troca.

A resposta dEle, como sempre, derreteu o meu coração de pedra.

Little CarpenterEle me disse que o fato de Ele ter sido um carpinteiro junto ao seu pai José não foi uma coincidência, mas sim uma forma de ensinar-nos algo de real valor.

Jesus me mostrou que o carpinteiro pega um pedaço de madeira tão sem forma, tão sem valor e então o aplaina, o endireita, tira lascas, aplaina de novo, o lixa e dá formas antes não esperadas para que o admirasse.

O processo é tão bruto, tão artesanal, tão simples, mas uma coisa é certa: a madeira, ao fim do processo não será mais a mesma; ela será algo melhor do que antes.

A forma de Jesus trabalhar na vida daqueles que O buscam de todo o seu coração também é simples assim.

Ele pega nossa vida tão bruta, tão cheia de caroços e nós, de imperfeições e falhas e nos leva para a sua carpintaria e, com suas simples ferramentas, simples, mas eficazes, começa a aperfeiçoá-las.

O trabalho é dolorido para muitos. Muitos de nós antes de cairmos nas mãos do doce carpinteiro de Nazaré éramos altos troncos, grandiosos na aparência, com grandes copas de orgulho, galhos estendidos mostrando os frutos de nosso poder e riqueza, porém, um dia veio o machado da decepção, da traição, da perda de alguém amado e derrubou-nos ao chão.

E quando achávamos que iríamos morrer, ouvimos passos firmes em meio à floresta, e então vimos aquele homem simples com o olhar mais lindo do universo e um sorriso amável estampado em seu rosto que refletia a paz e a mansidão. Ele então nos tomou em seus braços e nos levou para a sua carpintaria.

Lá estávamos nós, cortados, feridos, marcados. Então, o nazareno começa a trabalhar em nós, arrancando as pontas, tirando a casca, aplainando os pontos tortuosos, lixando e tirando as farpas, trazendo assim retidão à nossa forma antes indefinida e sem atrativo algum.

Ele arranca tudo aquilo do passado que estava grudado e incrustado em nós, tira a casca do nosso caráter e mostra quem realmente somos, endireita nossa vida, lixa as farpas em nós que ferem tantas pessoas que nos cercam e mostra um caminho para seguirmos, na verdade, o único caminho pois Ele é o via única que nos leva de volta ao Pai.

Mas se você acha que Ele termina por aí, você está muito enganado.

Ele pega então a madeira aplainada, limpinha, sem farpas nem nós ou pontas e começa a entalhar lindas formas.

E então, nossa vida que antes era sem valor, começa a tomar forma e a chamar atenção dos que nos cercam, não por causa da madeira em si mesma, mas do trabalho lindo feito nela.

É assim que Jesus faz conosco!

Você pode estar com a vida destruída, detonada, acabada, sem forma nem atrativos, mas se você entregá-la nas mãos do carpinteiro de Nazaré, o doce Jesus Cristo, Ele com certeza a mudará e te dará valor. Não falo de riquezas desse mundo, pois essas o ladrão rouba, a traça as destrói, a ferrugem as corrói, mas aquelas que se perderam nessa sociedade demolidora de valores: o amor, a paz, a alegria não fingida, o altruísmo, enfim, tudo que é bom e de boa fama que satisfaz ao coração do homem e alegra o coração do Criador (Filipenses 4:8).

Tudo que entregamos nas mãos de Jesus, Ele nos devolve melhor do que antes.

Entregaram água a Ele, Ele devolveu vinho, excelente vinho.

Entregaram a filha de Jairo morta a Ele, Ele a devolveu viva e saudável.

Entregaram um menino epiléptico a Ele, Ele o devolveu são e liberto.

Entregaram a Ele doze homens sem estudo algum, Ele os devolveu como pastores de corações.

Entregaram a Ele uma rude cruz, Ele a devolveu como Salvação a todo que nEle crê.

Talvez você me diga que sua vida está na fase de apodrecimento de tão suja que está, que você está jogado ao largo, à beira da estrada, sem esperança, nem direção, porém, eu gostaria de deixar um texto para o seu coração:

“Porque há esperança para a árvore, pois, mesmo cortada, ainda se renovará, e não cessarão os seus rebentos. Se envelhecer na terra a sua raiz, e no chão morrer o seu tronco, ao cheiro das águas brotará e dará ramos como a planta nova.

(Jó 14:7-9)

Se sua vida não estiver pronta para o carpinteiro, Ele te rega e espera você nascer de novo para então trabalhar em você.

E Ele espera você, Ele é paciente, afinal, Ele é eterno é É AMOR! (1ªJoão 4:8)

Jesus te ama e quer mudar sua vida, transformar seu coração, te dar a salvação.

Pense nisso e entregue sua vida nas mãos do Supremo Carpinteiro de nossos corações!

Um abração!

Gean Pierre

(Escrito em 18/01/2009)